Pensei em vários assuntos que poderia abordar para começar o blog, mas achei que qualquer coisa que dissesse soaria impessoal se eu não me apresentasse.

Meu nome é Luiz Fernando Lucho do Valle, nasci em Porto Alegre, tenho 53 anos, quatro filhos, quatro netos e sou formado em engenharia civil.

Minha intenção ao escrever nesse blog é ajudar a mudar o mundo. E para isso, despertar nas pessoas o interesse pela sustentabilidade, assim como aconteceu comigo há alguns anos.

Em 2003, na virada do ano para 2004, em Guarapari, no Espírito Santo, sentado em uma pedra à beira-mar, sozinho, eu decidi fazer um balanço da minha vida. Refleti sobre minhas origens, minha família, carreira e tudo que havia feito até chegar ali.

Descobri que, apesar de ter cumprido o que almejava profissionalmente, ainda faltava fazer algo que contribuísse para o bem comum.

Resolvi então me isolar no meu escritório e só sair de lá quando tivesse encontrado uma forma de usar minha experiência, de quase 30 anos como engenheiro e executivo, para ajudar de alguma maneira a melhorar a qualidade de vida nas cidades.

Depois de três meses e muita leitura de artigos, revistas especializadas e pesquisa na internet, formulei um plano de vida: construir moradias sustentáveis para a classe média.

Eu percebi que, para mudar o mundo, é preciso primeiro mudar as atitudes das pessoas.

Eu mudei.

Saí do meu emprego, vendi meu apartamento e peguei um empréstimo dando como garantia os dois carros que tinha para começar minha empresa.

Trabalhei muito para desenvolver um novo modelo de negócio que pudesse agregar todo o conhecimento adquirido na minha vida profissional e nesse retiro que fiz. Avancei muito nesses três anos e meio. Saí de uma boa ideia para a consolidação de um grupo de empresas voltadas para a realização do nosso grande objetivo: transformar o mundo construindo residências sustentáveis para melhorar a qualidade de vida das pessoas nas cidades.

Hoje consigo chamar a atenção para esse tema, posso dividir minhas ideias aqui, nesse blog e, com isso, tentar fazer com que mais gente se interesse pela sustentabilidade.

Não é necessário que você faça o mesmo que eu fiz. Mas é preciso que todo mundo comece a fazer algo pelo futuro do planeta. Pelo nosso futuro e de nossos filhos e netos.

Eu quero mudar o mundo, pelo menos o mundo que está ao meu alcance. Quero deixar um mundo melhor do que o que eu encontrei.

Por isso, pretendo voltar aqui sempre com mais ideias e discuti-las com quem se interessar para que você e outras pessoas também me ajudem a colocar em prática essas soluções e juntos possamos salvar o planeta. Ou pelo menos tentar. Se você gostou desse post, agora acesse o outro e aprenda como cultivar orquideas.

Assista ao vídeo sobre o que é sustentabilidade

Na arquitetura e na engenharia, a construção é a aplicação do projeto antecipadamente planejado, seja de um edifício ou de uma obra de arte, que são obras de maior aspecto destinadas a bases de uma organização como pontes, viadutos ou túneis. É a aplicação de todas os ciclos do projeto do alicerce ao acabamento, consistindo em desenvolver o que consta no, obedecendo as técnicas da construção e as regras técnicas vigentes.

No nosso país, o termo reforma é o mais empregado no momento em que se trata de realizar qualquer ampliamento, novidade, ou restauração, ou somente uma tingimento, ou a troca de um piso de uma propriedade, seja comercial, industrial ou residencial. Os termos construção e aprimorado similarmente são usados.

O termo

Construção civil é o termo que junta a confecção de obras como residenciais, estabelecimentos comerciais, rodovias, aeroportos e outras estruturas, no qual participam engenheiros civis, arquitetura e técnicos de outras disciplinas.

Os termos construção e engenharia civil são nascidos em uma época na qual só existiam duas classificações para a engenharia: a civil e a militar. A engenharia militar era somente para os militares e a engenharia civil para os demais indivíduos. Com o passar dos anos, a engenharia civil, que constituía todas os campos, foi se repartindo até ficar como conhecemos hoje. Temos também várias divisões, como a engenharia elétrica, a química, a mecânica e até a naval, entre outras.

construção

O mercado

Após a construção, entra o comércio. A disputa de cada imobiliária para vender ou alugar imóveis pode virar uma guerra. O ramo de imobiliárias pode ser um negócio muito estressante. Um corretor de imóveis deve estar conectado ao mercado o tempo todo, para conseguir que sua imobiliária saia na frente da concorrente. Esse profissional precisa ter carisma, saber lidar com o público e, principalmente, saber vender! Para saber vender, é bom que o corretor faça cursos de vendas ou que já tenha trabalho com o ramo.

O preço dos imóveis para locação teve uma significativa redução de 6,76% nos últimos doze meses, diz o Índice FipeZap de Locação, índice que monitora a variação desses valores das residências anunciadas em quinze cidades do Brasil. Apesar de ter aumentado pelo terceiro mês seguido, chegando a uma alta de 0,47% nesse primeiro trimestre, o mercado do aluguel de imobiliária continua mais favorável para quem quer locar do que para os reais donos de imóveis se nós levarmos em consideração os últimos 12 meses, terminados em março. Mais uma vez, os preços de locação aumentaram muito abaixo do esperado, comparado aos demais preços da economia.

obra

Quando procuramos uma casa, um prédio ou um estabelecimento comercial para compra ou aluguel, já vem aquele desgaste de pensar “vou ter que ir atrás de uma imobiliária”. Aquela chatice de ligar para várias, conhecer todas as opções e tudo mais. Esse é um negócio de muita confiança, afinal você está dando à um profissional a responsabilidade de encontrar sua futura moradia ou local de trabalho! Por isso, ao procurar uma imobiliária, certifique-se de que ela tem bons antecedentes. Nessas horas, converse com seus colegas de trabalho, amigos e familiares e peça por indicações.